Blockchain pode contribuir com transparência e segurança para os Cartórios

Blockchain pode contribuir com transparência e segurança para os Cartórios

Impacto das novas tecnologias nos serviços extrajudiciais foi tema da II palestra da Concart

Em seguida, Otávio Soares iniciou sua apresentação comentando acerca de um estudo sobre a aplicabilidade do Blockchain no âmbito dos cartórios extrajudiciais. Abordou casos em que mesmo com certidões em dia o vendedor não conseguiria realizar duas vendas. Chamou a atenção para o fato de que a rede blockchain ”proporciona confiança e transparência e evita falhas, proporcionando mais segurança às transações”.

Segundo ele, graças a essa tecnologia, pela primeira vez na história da humanidade duas pessoas que não se conheciam realizaram uma transação em uma rede não confiável, que é a internet, de maneira 100% segura, o que revolucionou a área da tecnologia.

Camila Jimene lembrou que o Blockchain funciona como um grande livro contábil que registra vários tipos de transações e possui registros espalhados em vários computadores. Ela abriu sua participação destacando que atualmente vive-se em um modelo de tecnologia disruptiva, em que tudo muda a todo momento e novas tecnologias estão sempre surgindo. Diante desse cenário, a informação tem valor muito relevante e por isso precisa ser protegida, destacando-se a necessidade de segurança da informação. “Tudo acontece em tempo real e as consequências são quase imediatas, mas evidentemente as leis não vão no mesmo fluxo da evolução tecnológica”, lembrou.

Diante disso, Jimene ressaltou a utilização da ata notarial como forma de prevenção no meio digital. Atualmente as funcionalidades da ata para tal finalidade são muitas, desde a preservação de arquivos eletrônicos, registro de conteúdos digitais que vem por caminhos como o whatsapp, preservação de publicações, registro de quantidade de ligações telefônicas, existência de logs em servidores, restauração de backup, clonagem e lacração de Hds entre outros.

A palestrante também citou outras novidades tecnológicas no segmento extrajudicial, entre elas o uso de drones para lavratura de atas notariais e o reconhecimento de firma com a utilização de QR Code. “Embora o direito viva a reboque da tecnologia, a tecnologia não tem volta. E o que será o futuro? A tecnologia Blockchain”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *